domingo, 29 de Maio de 2011

Atlético-Padroense - antevisão numérica






Um clube com 24 presenças no escalão maior recebe outro que tem apenas 6 presenças nos Campeonatos Nacionais. Aquando da última participação do Atlético na 1ªDivisão (1976/77), o Padroense disputava a antiga 2ªDivisão da AF Porto. Na época seguinte, desceria mesmo à 3ª! A última época nos Distritais ainda é recente – 2006/07. Mas é o clube de Matosinhos que se apresenta em Alcântara este Domingo melhor posicionado para garantir a subida à Liga de Honra. A equipa que vencer festeja já a subida, mas um empate adia tudo para as viagens à Madeira. Aqui ficam alguns dados das épocas dos dois clubes em contenda:



Vitórias:


ACP - 19


PFC - 17




Empates:


ACP - 10


PFC - 9




Derrotas:


ACP - 3


PFC - 6




Golos Marcados:


ACP - 51


PFC - 49




Golos Sofridos:


ACP - 29


PFC - 31




Amarelos:


ACP - 59


PFC - 84




Vermelhos:


ACP - 3


PFC - 6




Vitórias Consecutivas:


ACP - 7


PFC - 4




Jogos consecutivos a marcar:


ACP - 13


PFC - 7




Jogos consecutivos sem sofrer:


ACP - 3


PFC - 2




Maior Vitória:


ACP - 4-1 vs Atlético Reguengos, 3-0 vs Pinhalnovense e Lagoa


PFC - 4-1 vs Pampilhosa e Atlético, 3-0 vs Sertanense




Maior Derrota:


ACP - 1-4 vs Padroense


PFC - 3-5 vs União da Serra




Jogadores utilizados:


ACP - 22


PFC - 21




Minutos por Jogo por Atleta utilizado:


ACP - 66,1


PFC - 64,9




Minutos por Jogo dos Onze mais utilizados:


ACP - 77,5


PFC - 82,5




Jogadores mais utilizados:


ACP – João Meira (2787’), Laurindo (2745’) e Botelho (2700’)


PFC – André Simões (2813’), Paulinho (2803’) e Marco (2700’)




Mais Golos:


ACP - Tiago Caeiro (11), Rudi (10) e Ailton (8)


PFC - Marcão (12), Silva (8) e André Simões (7)




Mais Amarelos:


ACP - Laurindo (11), João Meira (9) e Paulo Sérgio (7)


PFC - Daniel (13), Vila e Armando (8)




Mais Vermelhos:


ACP - Bruno Brito, Hernâni e Rudi (1)


PFC - Daniel e Mariano (2)




Média Etária dos Onze mais utilizados:


ACP - 28,7


PFC - 27,2

sábado, 28 de Maio de 2011

Fofó empata na Lourinhã











Dos muitos jogos da Divisão de Honra da AF Lisboa a que já assisti, o Lourinhanense-Futebol Benfica do passado Sábado terá sido dos mais fracos. É certo que se tratava de um jogo de fim de época, mas considerando a presença em campo de um dos candidatos à subida aos Nacionais, esperava-se bem mais. Curiosamente, até foi a mais jovem equipa da casa a apresentar-se melhor. Num jogo sem muito para contar, aqui ficam os onze iniciais e o registo dos melhores lances do jogo.



SCL – Nobre; Manel, Edgar Garcia, Marco Ramos e Nélson; Bruno Antunes, Alverca, Marco Águas; Marinho, Fábio Roçadas e Pedro Fonseca.

Tr. Luís Brás


CFB – Formiga; Maia, Didi, Alex e Vital; Batista, Martinho e Batalha; Adilson, Careca e Frutuoso.

Tr. Pedro Barroca






15´ - Roçadas escapa a Vital e remata cruzado ao lado;


23’ – Numa espécie de canto curto do lado esquerdo do ataque, Careca remata cruzado sem que surja o desvio para a baliza;


39’ – Maia antecipa-se a Nélson e isola-se frente a Nobre mas o guardião local antecipa o lance;


62’ – Careca cria espaço para o cruzamento mas Adilson remata por cima;


76’ – Pedro Fonseca foge pela primeira vez à defesa do Fofó mas remata à figura de Formiga;


81’ – Bola sobra na entrada da área para João Paulo que remata ao lado;













84’ – Dois cantos consecutivos a favor do Fofó mas sem perigo;


87’ – Na marcação de um canto, a bola está muito próxima da linha de golo;







89’ – Melhor jogada da partida – a bola passa por três jogadores da casa e chega a Roçadas que remata fraco;







90’ + 3 – Didi faz um passe para Mamadu. O jovem ex-Real, pressionado por Pedro Fonseca, perde a bola para o avançado lourinhanense que a coloca em Roçadas. Este, frente a Formiga, procura o chapéu sem êxito.







Apesar dos falhanços nos momentos decisivos, Roçadas (24 anos) foi o destaque da partida. Filho do homónimo antigo jogador do V.Setúbal é daqueles jogadores de baixa estatura mas com muito bom toque de bola. Recordei-me da primeira vez que vi Diogo Salomão jogar e esse é o melhor indício. Já esteve no Torreense e parece-me ter qualidade mais do que suficiente para escalões superiores. Do lado do Fofó, gostei de ver o central Alex. Já assistira a algumas partidas do central, mas parece-me estar cada vez mais completo, exemplo de que um central atinge o pleno depois dos 30.



A equipa de arbitragem esteve a um nível acima do jogo. Como curiosidade a presença de Rafael Figueira como auxiliar, depois de ter chefiado a equipa que arbitrou o Cascais-Sanjoanense semana anterior.



Entretanto, a AF Lisboa já deliberou sobre o Linda-a-Velha – Futebol Benfica, aplicando pena de derrota aos dois clubes. Enquanto não existir decisão sobre o Pero Pinheiro-Alta de Lisboa, as duas últimas rondas da Divisão de Honra estão suspensas. Considerando os castigos aplicados aos jogadores do Alta de Lisboa, duvido que a decisão da AF Lisboa seja semelhante à do jogo de Linda-a-Velha, mas esperemos para ver.




Na disputa de um lugar na 3ªDivisão Nacional, ficam por jogar as seguintes partidas:




33ª Jornada:


Pero Pinheiro-Vialonga


Futebol Benfica-Tires




34ªJornada:


Lourinhanense-Pero Pinheiro


Ponterrolense-Futebol Benfica




Teoricamente, a tarefa do Pero Pinheiro parece mais complicada. No entanto, a única certeza é a que haverá emoção até ao fim.

domingo, 22 de Maio de 2011

O acólito




Estamos a algumas horas da Final da Taça entre FC Porto e Vitória SC. Do Jamor, Villas Boas diz que “é inegável que não reúne as máximas condições em termos de segurança e conforto”. A Polícia diz que a segurança começa no comportamento dos adeptos. A Polícia acerta, enquanto Villas Boas faz de acólito do discurso de Pinto Costa. Quando saír do FC Porto, Villas Boas poderá expressar-se livremente, tal como Jesualdo Ferreira ou Raúl Meireles agora fazem. Faz parte. Só espero que num jogo em que estarão presentes duas das claques mais violentas do futebol português, as palavras de Villas Boas não venham a ser vistas como prenúncio de algo que nada tem a ver com a Festa da Taça.


sábado, 21 de Maio de 2011

SC Sanjoanense garante Honra


No passado Domingo, o Sanjoanense garantiu a subida de divisão ao vencer em Cascais o Dramático local. À mesma hora, o Damaiense jogava no Campo Branca Lucas com o SL Olivais, num jogo em que necessitava de fazer melhor resultado que o Sanjoanense. Ao intervalo, o nulo em Cascais colocava o clube da Damaia na Divisão de Honra de 2011/12. No final das partidas, o golo de Wilson em Cascais até se tornaria dispensável, dado o empate conseguido pelo Olivais frente ao Damaiense.



Num jogo bem arbitrado por Rafael Figueira, o Sanjoanense começou o jogo com o seguinte onze:



Dércio; Tibamba, Ruben, Fábio Teixeira e Jair Varela; Júnior, Filipe e Neves; Edi, Wilson e Brian (cap.).




A equipa da casa, já despromovida, deu boa réplica ao favorito Sanjoanense. Os visitantes fizeram uma primeira parte em que pareceram algo displicentes, como se o golo fosse surgir a qualquer momento. No entanto, o golo só surgiu na segunda metade e num lance de bola parada. Inclusivamente, a equipa foi obrigada a sofrer para evitar o empate do Cascais.



Momentos do jogo:



6’ – Brian escapa ao lateral direito do Cascais e remata em jeito ao lado do poste esquerdo da baliza à guarda de João Graça;



17’ – Bom lance dentro da área de Varela (#10 do Cascais). Cruza para a área mas não surge ninguém para o desvio;



23’ – Livre favorável ao Cascais para boa defesa de Dércio;



33’ – Wilson faz de cabeça o que seria o 0-1 mas o auxiliar de Rafael Figueira assinala fora-de-jogo;



37’ – Wilson passa pelo defesa do Cascais mas remata ao lado;


41’ – Novo remate do Sanjoanense. Desta vez é Brian a rematar ao lado;


45’ – Mesmo em cima do intervalo, Edi desperdiça a oportunidade mais flagrante da partida. Isolado pela direita, não consegue bater a mancha de João Graça;



54’ – Abílio derruba Brian à entrada da área. Na conversão do livre, Wilson bate o guardião do Cascais;















73’ – Júnior cobra um livre ligeiramente sobre a barra;



82’ – Com duas defesas de recurso consecutivas, Dércio nega o empate ao Cascais;


90’ e 90’ + 3 – Dois livres sem consequências foram os últimos lances de registo durante a partida.





A jovem equipa do Sanjoanense tem uma defesa sólida em que se destaca o lateral esquerdo Jair Varela, jovem formado no clube que, com apenas 21 anos, me parece destinado a maiores desafios. Mais adiantados no terreno, os seus colegas Brian e Wilson serão, assim aposto, casos sérios na Divisão de Honra da próxima época, caso se mantenham em S.João da Talha. Destaque-se ainda a presença no plantel da subida do médio Barata (36 anos), ex-jogador do Sacavenense. Por aquilo que mostrou durante esta partida, a equipa do Cascais apresenta qualidade mais do que suficiente para este escalão. No entanto, a época não correu bem e a próxima época será disputada na 2ªDivisão da AFL, salvo alguma alteração que venha a ocorrer. Uma nota final para o guardião João Graça. Por aquilo que mostrou, merece bem mais do que a 2ªDivisão da AFL.

sábado, 14 de Maio de 2011

Subida adiada




8/5/2011 - Campo da Quinta do Recanto


MEM MARTINS – Bruno Cruz; João Nascimento, Bruno Luís (cap.), Pedro Emídio e Vasco Martinho; Flávio Ferreira, Tuxas, André e Jonny; Alex e Nené.


Tr. Fernando Rodrigues



ADCEO – Tristão; Micas, Daniel, João e Anderson; Ychine, Mendes, Marquinhos e Filipe Gazela; Miguel Hall e Bruno.


Tr. Rui Torres



À entrada para a penúltima jornada, a equipa da ADCEO sabia que uma vitória em Mem Martins garantiria a subida à Divisão de Honra da AF Lisboa. Ocupando um honroso sétimo lugar, o Mem Martins era a equipa com menos derrotas caseiras (apenas o Carcavelos venceu na Quinta do Recanto), pelo que a tarefa da jovem equipa da ADCEO não se afigurava simples. Mais difícil se tornou quando se perceberam as dificuldades dos visitantes em adequar o seu jogo ao pelado de Mem Martins. Bem mais adaptado ao terreno de jogo, a equipa da casa pretendia saír daquele que se diz ter sido o último jogo no pelado, com uma vitória. Foi construindo as melhores ocasiões de golo até que, aos 12’, num canto marcado pelo lateral esquerdo Vasco Martinho, a bola vê a sua trajectória desviada por um toque do também lateral esquerdo Anderson, batendo Tristão. Quatro minutos depois, Tuxas cabeceia ao lado da baliza de Tristão, no que poderia ter sido o 2-0. Apenas na 2ª parte, a equipa da ADCEO se adaptou melhor ao pelado, nomeadamente na forma mais directa com que fazia chegar a bola aos jogadores mais adiantados no terreno. Ainda assim, o capitão Bruno continuava a insistir nas jogadas individuais, demonstrando a sua técnica, mas num terreno em que outras características seriam mais favoráveis.





As oportunidades de golo foram escassas durante a segunda parte e foi já no fim do tempo regulamentar que a ADCEO chegou à igualdade. Marquinhos é derrubado na área e o árbitro Tiago Gameiro aponta a marca de castigo máximo. Na conversão, o capitão Bruno não perdoou e fez o resultado final que tudo adia para a jornada deste Domingo. Naquela que será a última ronda, a ADCEO tem tudo para festejar a subida em casa pois recebe o Cultural, equipa que ocupa a penúltima posição. Sanjoanense e Damaiense partem em igualdade pontual, sendo que os homens de S.João da Talha visitam Cascais, enquanto que a equipa da Damaia se desloca ao Campo Branca Lucas, para defrontar o histórico SL Olivais. À equipa da ADCEO, um empate será suficiente para subir. O Sanjoanense terá de fazer resultado equivalente ao obtido pelo Damaiense, enquanto que este parte em desvantagem. Terá de aguardar por surpresas protagonizadas pelas equipas da Pontinha e de Cascais.



sábado, 7 de Maio de 2011

Proximidade para a História



Considerando apenas aqueles que já disputaram as competições da UEFA, há clubes que distam mais de 5000kms entre si. Já houve várias eliminatórias disputadas por clubes baseados na mesma cidade, mas nunca numa Final.

A 18 de Maio, quando se encontrarem em Dublin, FC Porto e SC Braga passarão os clubes mais próximos a disputar uma Final europeia. Mais um aspecto histórico daquela que será a primeira Final europeia entre dois clubes portugueses.

Porto Salvo garante regresso à 1ªDivisão



Ao vencer em Trajouce no passado dia 1, o Porto Salvo regressa à 1ªDivisão da AF Lisboa, o “seu” escalão, de onde foi relegado no final da época passada. O técnico Chico Afonso, que ainda há duas épocas, orientava a Alta de Lisboa, escolheu o seguinte onze inicial - João Lobo; Ivo, Tiago Palrão, Edgar e Tiago Silva (cap.); Josimar, Márcio e Blessing; Adão, Leandro Cruz e Leandro.



Numa partida bem arbitrada por Pedro Pires, o Porto Salvo precisava apenas de um empate para não precisar de saber os resultados de Palmense e Domingos Sávio. No entanto, a equipa da casa deu muito boa conta de si e foi adiando os intuitos do líder. Foi apenas a sete minutos do intervalo que os visitantes chegaram à vantagem, num lance em que Wilson, o guardião do Trajouce, não fez juz ao nome que ostenta na camisola – Will Banks.



Apesar da réplica dada pelo Trajouce, a baliza à guarda de João Lobo não passou por grande perigo. No entanto, o golo da confirmação só chegaria aos 79’, com o avançado Armindo a finalizar à segunda tentativa, uma finalização na pequena área, batendo o guardião Quim, que substituíra Wilson minutos antes.




Na equipa da casa, destaque para o central Tó. Ver um jovem de 40 anos jogar futebol por prazer é sempre nota de registo.




No Porto Salvo, destaco os pequenos Leandros que deram sempre muito trabalho à defesa do Trajouce e para o médio Blessing que, apesar da sua aparente fragilidade física, nunca virou a cara à luta no miolo do terreno.


O Atlético de Porto Salvo disputará o título de Campeão da 2ªDivisão da AF Lisboa com o MTBA.